Transferência de emprego, orçamento familiar reduzido, falta de alinhamento com a proposta pedagógica do colégio: são muitos os motivos que levam pais e alunos a buscarem uma nova escola. Segundo matéria publicada no Estadão em fevereiro de 2016, a rede privada deve encolher 12% em relação ao ano de 2015. Visto isso, selecionamos 3 questões para entender por que sua escola perde alunos.

Por que sua escola perde alunos?

Crise econômica

O reflexo da crise também chega à educação. De acordo com a reportagem do Estadão, as escolas particulares do país calculam ter perdido um milhão de alunos desde 2015, por conta da retração econômica. Segundo a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen), o Censo Escolar mostra que a rede privada perdeu 12% dos mais de 9 milhões de alunos que tinha em 2014.

Apenas em 2016, segundo levantamento da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo , as redes estadual e municipais receberam 200 mil alunos que migraram da rede particular.

Dificuldades na negociação de descontos

Crise econômica e reajustes de valores, dificuldades na retenção de aluno, perda na capacidade de crescimento não são bons indicativos para a educação privada. Sem contar com os indicadores de perda de receita, como concessão de bolsas e inadimplência, que deixam o contexto muito mais instável.

Com esse cenário e um mercado de ensino privado cada dia mais competitivo, nem todas as escolas conseguem atender as demandas de negociação de descontos e para alguns pais, que não conseguem mais manter as mensalidades, a única saída é transferir os filhos para outra instituição mais barata ou gratuita.

Boa parte das instituições privadas já trabalham com políticas de descontos para irmãos ou para os que pagam os boletos em dia, e ainda fazem negociações individuais analisando casos específicos. Mas nem sempre é possível manter uma condição que agrade os dois lados.

 

Mudança de ciclo

A passagem dos alunos de um ciclo para o outro merece uma atenção especial da equipe gestora. Em especial as escolas que tem jovens que estão prestes a deixar o Ensino Fundamental para ingressar no Ensino Médio. Esse é o primeiro grande momento da vida escolar em que a seleção da escola é uma decisão muito mais do aluno do que das famílias.

O primeiro rompimento acontece quando a escola não atende o próximo ciclo e o alunos não tem outra alternativa a não ser buscar uma nova instituição. O segundo rompimento ocorre quando a escola atual tem expectativas diferentes da do aluno em relação ao futuro, o que faz com que a busca por opções que mais se encaixem em seus planos comece – foco maior em vestibulares, ensino integral, atividades extracurriculares, valores religiosos, morais, políticos ou artísticos, entre outros fatores.

Algumas escolas privadas, em especial as de maior reputação, têm buscado travar essa queda de matrículas com estratégias de mercado segmentadas. Umas focam em competências socioemocionais, outras em aprovação para vestibulares, atendendo os desejos de pais e alunos.

Quer saber mais? Baixe nosso infográfico.

 

 

Compartilhe
  • Enviaremos um email para agendarmos o horário mais conveniente para você