Para muitos professores e gestores, a BNCC é mais uma tarefa para o já tão sobrecarregado cotidiano escolar. Mas, mudando a relação com a forma como registramos nossas ações e projetos, a base se torna um aliado importante para a construção de uma nova educação aqui e agora.

Afinal, o que é a BNCC?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento que sintetiza os direitos de aprendizagem dos estudantes brasileiros durante o Ensino Básico.

Longe de ser um currículo pronto para ser implementado, a base, como o próprio nome já diz, é uma superfície onde se desenharão currículos e planejamentos. Sua função primordial é acelerar a busca pelo fim das desigualdades.

Leia também o post: Comece 2019 entendendo a BNCC

Quais são os desafios da implementação da Base?

No momento, dois desafios são urgentes: formar professores e transformar a base em currículos. Entretanto, nós acreditamos que um terceiro desafio precisa ser posto – uma mudança da relação entre a educação e o uso dos dados.

A implementação de uma base nacional como a BNCC é uma tarefa que demanda participação de todos. Por isso, estar aberto às mudanças vai ser fundamental para que esse processo seja bem sucedido. Uma das formas de facilitar essa transição é olharmos com atenção para tudo que já vem sendo produzido em nossas escolas e salas de aula, pois sabemos que há muito conhecimento sendo produzido nesse espaço.

Isso nos convida a aproveitar o momento de implementação da BNCC para repensarmos a nossa relação com os registros. Se quisermos despertar em nossos estudantes uma atitude pesquisadora, temos que desenvolver em nós essa mesma atitude.

Pode ser que você já esteja formando estudantes para o futuro. As pessoas precisam saber disso.

Quem leu o documento da BNCC (quem não leu e quiser começar a se apropriar do assunto, pode baixar o Resumão BNCC), deve ter percebido que o apelo primordial é para a construção de um modelo integral de educação.

Apesar de ser um documento novo, muitos professores  já realizam grande parte do que é solicitado pela Base nos seus cotidianos escolares. As competências gerais, por exemplo,  já fazem parte da realidade de muitas salas de aula. A diferença é que isso agora está sistematizado, para garantir que todos os estudantes tenham acesso às mesmas condições de aprendizagem.

Você é um desses professores? Então, é importante mudar a relação que você tem com seus registros.

Digamos que você tenha um aluno sem nenhum interesse, com um desempenho abaixo do esperado. Se você realizou algum projeto que mudou essa realidade, isso pode se tornar uma evidência. A partir desse registro, fica claro que funciona com esse estudante. Se, por outro lado, muitas tentativas deram errado, isso também é uma evidência. Esse registro pode poupar tempo – seu e de outros professores.

Entendemos que o registro sistemático de todas as ações permite que você mostre que já está colocando a BNCC em prática. Quando você registra suas ações, isso transforma sua prática em um grande banco de dados. Assim, a evolução do processo ensino-aprendizagem se torna cada vez mais rápida e eficiente.

Contar, por exemplo, como resolveu um conflito entre dois estudantes; como garantiu uma aproximação com a família de uma ou outra criança; quais foram os resultados de uma simples reorganização das carteiras em sala de aula.

Tudo isso é dado, é referência e pode embasar um novo tempo da educação. Agora mesmo.

Compartilhe

Acompanhe a Tuneduc nas redes

Leia mais no blog