O Enem 2019 já tem data para acontecer, nos dias 3 e 10 de novembro. Ainda que a prova tenha garantido sua importância e destaque ao longo dos anos, ainda há muitas dúvidas sobre sua estrutura e especificidades, tanto da parte de alunos, quanto de professores.

A avaliação foge do comum tanto no formato de suas questões (os chamados itens), quanto na metodologia de seus resultados (a Teoria de Resposta ao Item leva em consideração a coerência das respostas e alunos com o mesmo número de acertos podem ter notas bastante diferentes).

Adicione a isso que, hoje, o Enem é mecanismo de acesso a universidades públicas (por meio do SiSU) e particulares, tendo sua nota aceita em inúmeras instituições, e ainda pode ser decisivo para programas como o Prouni (bolsas integrais e parciais em faculdades) e o Fies (financia até 100% do curso de ensino superior). Assim, os alunos tendem a ficar ansiosos e também inseguros quanto à qualidade de seus estudos.

Sabendo disso, preparamos para você algumas dicas que podem ser trabalhadas desde o início do ano letivo.

Apresente o estilo da prova

A prova do Enem possui particularidades. Uma das suas principais características é o extenso enunciado, além da própria quantidade de questões, 180 ao todo, divididas em:

  1. Linguagens, códigos e suas tecnologias;
  2. Ciências Humanas e suas tecnologias;
  3. Ciências da Natureza e suas tecnologias;
  4. Matemática e suas tecnologias.

Acostumados às disciplinas tradicionais, nem sempre os alunos conhecem as “matérias” que compõem cada uma das áreas.

Uma das dicas é utilizar as questões do Enem nas avaliações internas da escola, permitindo que os alunos se habituem à forma como os conteúdos escolares são avaliados no exame. Quando o uso dos itens é articulado ao trabalho de habilidades proposto em sala de aula, os alunos se preparam ainda mais para o Enem e se sentem mais seguros para o dia da prova.

Promova debates e reflexões sobre assuntos atuais

Uma outra característica que a prova do Enem possui é a redação, que aborda temas atuais, algumas vezes polêmicos, mas sempre com o intuito de trazer reflexão e questionamentos aos candidatos. Por essa razão, é importante que você ofereça em sala de aula, debates, filmes, documentários que proporcionem argumentos aos seus alunos em uma discussão.

O tema da redação do Enem 2018 foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Resgate os temas de anos anteriores para trabalhar em sala de aula, debata assuntos atuais e observe os textos e conteúdos de apoio que costumam aparecer nas propostas de redação e busque estruturar de forma semelhante as avaliações da escola

Veja também: Os ingredientes para uma redação nota mil

Utilize dados para direcionar o conteúdo pedagógico

O conteúdo cobrado no Enem é muito extenso. Apesar de você se programar ao longo ano para oferecer ao aluno todo o cronograma exigido, algum ponto pode passar sem a devida atenção.

Ao utilizar dados para entender quais são as dificuldades dos seus alunos e os pontos em que  eles se destacam, você pode focar em assuntos específicos com maior necessidade de atenção e desenvolvimento em sala de aula.

Ao priorizar competências, habilidades e objetos do conhecimento com maior defasagem ou erros pode lhe mostrar os gargalos que você pode atuar em sala de aula, modificar a abordagem e até mesmo incentivar o estudo de uma outra competência exigida pelo Enem.

Ferramentas como o Módulo Enem proporcionam dados para que você descubra os componentes curriculares que precisam ser reforçados no plano pedagógico, além de disponibilizar as questões do exame desde 2009 e simular a chance de entrada de seus alunos na universidade por meio do Sisu.

Além disso, a plataforma conta com um algoritmo exclusivo de prioridades, que leva em conta o desempenho dos seus alunos, o desempenho médio das outras escolas e também o peso histórico, ou seja, quanto determinado assunto foi cobrado no exame nos últimos anos. O resultado? Uma lista dos conteúdos que proporcionariam o maior salto de desempenho se trabalhados na escola.

Ofereça conteúdos interdisciplinares

A interdisciplinaridade é uma das principais características do Enem. Os itens (como são chamadas as questões do Enem) do exame costumam relacionar duas ou mais disciplinas em seus conteúdos para aprofundar o conhecimento e tornar a formulação e ensino mais dinâmicos, fazendo “uma matéria ajudar a outra”.Veja a questão retirada da prova de 2016

Aqui, há uma relação entre Biologia e Geografia por exemplo. Incentivar conteúdos que são interdisciplinares aprofunda o conhecimento e empodera os alunos a pensarem de maneira ampla sobre determinado assunto, relacionando inclusive os saberes de uma matéria com outra.

A interdisciplinaridade no Enem é favorecida pela Matriz de Referência, que avalia os cinco eixos cognitivos comuns às áreas do conhecimento. Para ajudar os alunos nesse contexto, a escola pode buscar projetos e avaliações que façam relações entre Matemática e Física, Química e Biologia e assim em diante.

Aqui, na Tuneduc nos preocupamos em oferecer dicas, infográficos e principalmente dados para que, a sua escola ofereça o melhor para seus alunos e também facilitar o trabalho do professor. Temos diversos conteúdos que podem te ajudar nesta jornada. Separei mais alguns aqui:

 

Ilustração: Christina Lu

Compartilhe

Acompanhe a Tuneduc nas redes

Leia mais no blog